Ignorar Comandos do Friso
Saltar para o conteúdo principal
   
Procura Avançada
As Bibliotecas como instituições de memória e salvaguarda do património das comunidades


Como forma de incentivar as bibliotecas públicas a assinalar algumas datas comemorativas e a desenvolver atividades com elas relacionadas, elaborámos um Calendário da Rede Nacional de Bibliotecas Públicas que, para além de uma seleção de dias comemorativos mais relevantes que poderão contribuir para potenciar o papel de formação e informação das bibliotecas municipais, também associámos, a cada mês, temas que representam áreas de atuação essenciais, existindo mensalmente propostas de dinamização de atividades.

No mês de maio, destacamos três projetos, promovidos por cinco bibliotecas três das quais  em rede, que perante o risco da  perda do importante e insubstituível património das suas comunidades, abraçaram como missão a recolha, salvaguarda, organização e divulgação de todo um conjunto de memórias sobre os mais diversos aspetos do quotidiano das comunidades, fortalecendo a identidade e coesão das suas comunidades, valorizando o seu património e cultura.​

 

MEMÓRIA SOBRE RODAS (CASTRO DAIRE)

logoCastroDaire.jpg

“Memória sobre Rodas” é um projeto integrado de pesquisa etnográfica e de arquivo digital do riquíssimo património cultural do concelho de Castro Daire, o qual encerra a novidade de usar um recurso disponível, o bibliomóvel da Biblioteca Municipal de Castro Daire, o qual é hoje também um estúdio móvel de registo sonoro e audiovisual. O lema do projeto  é “o património somos nós”, uma forma de evidenciar que o conhecimento etnográfico reside em cada aldeia, em cada casa e em cada família, fazendo parte do fluxo de memórias que vêm dos antepassados, o qual urge cuidar, divulgar e projetar para o futuro.

Em 2018, o Município de Castro Daire, através da sua Biblioteca Municipal, e em parceria com a Binaural Nodar, lançaram o projeto “Memória Sobre Rodas”, uma iniciativa integrada de pesquisa etnográfica do seu riquíssimo património cultural o qual encerra, entre outras, a novidade de usar um recurso disponível, o bibliomóvel da Biblioteca Municipal de Castro Daire, o qual passou também a ser um estúdio móvel de registo sonoro e audiovisual.
O Arquivo Digital Memória Sobre Rodas pode ser entendido como uma das faces visíveis e perenes de um projeto que pretende deixar um lastro sistemático e partilhável e que possa por sua vez influenciar outras iniciativas – associativas, das juntas de freguesias, etc. – no concelho de Castro Daire.

O lema do projeto “Memória sobre Rodas” é “o património somos nós”, uma forma de evidenciar que o conhecimento etnográfico reside em cada aldeia, em cada casa e em cada família, fazendo parte do fluxo de memórias que vêm dos antepassados, o qual urge cuidar, divulgar e projetar para o futuro de forma a que o município de Castro Daire seja conhecido cada vez mais pelo seu contexto geográfico e cultural absolutamente único.
Este projeto foi destacado com uma Menção Honrosa na 5ª edição do Prémio de Boas Práticas em Bibliotecas Públicas Municipais 2018, promovido pela DGLAB.

A Biblioteca Municipal de Castro Daire assinalou o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios 2020 (18 de abril) com a disponibilização online do "Arquivo Digital Memória Sobre Rodas".

Portal: https://www.memoria-sobre-rodas.org/
Portal: https://www.archive.binauralmedia.org/arquivo-digital-memoria-sobre-rodas/

 

MEMÓRIAS DAS TERRAS DE MONSALUDE (CASTANHEIRA DE PERA, FIGUEIRÓ DOS VINHOS E PEDRÓGÃO GRANDE)

logoMONSALUDE.png

Os concelhos que compõem a Rede de Bibliotecas Terras de Monsalude (Castanheira de Pera, Figueiró dos Vinhos e Pedrogão Grande) são fundamentalmente rurais, constituídos por comunidades dispersas no território, cuja população tem vindo a diminuir gradualmente ao longo dos últimos anos, acentuando a desertificação. Trata-se duma região com significativos índices de emigração e com um gradual e expressivo envelhecimento da população. A destruição provocada pelos recentes incêndios imprimiu neste território uma marca de sofrimento e um vazio que agudiza os efeitos do isolamento que a geografia e a evolução desta região definem. Consciente desta realidade, a Rede de Bibliotecas de Monsalude propôs-se desenvolver um projeto de intervenção, centrado num trabalho de proximidade, sobretudo dos residentes nas zonas mais periféricas à sede de concelho, bem como aquelas mais afetadas pelos incêndios de 2017. Cofinanciado pela FCG no âmbito do Fundo de Apoio às Vítimas dos Incêndios, o projeto “Memórias de Monsalude” visa valorizar as comunidades locais e as suas vivências, recolher e preservar as memórias relacionadas com as formas de viver das gentes destas terras, ao mesmo tempo que valoriza o património cultural e recupera as memórias para as gerações vindouras.

Estão a ser desenvolvidas duas linhas de ação deste projeto:
1- Criação de um serviço de biblioteca à distância, que se deslocará regularmente às pequenas localidades dos concelhos, por rotas definidas, dinamizando atividades (sessões de esclarecimento e de partilha de experiências, sessões de contos, entre outras) e levando recursos das bibliotecas.
2- Realização de um trabalho de recolha e preservação de memórias, tradições e acontecimentos que se desenvolveram durante séculos nestes territórios e que, com as mudanças ocorridas nos modos de vida e nas diversas instituições locais, sobretudo ao longo do século passado, estão em vias de desaparecer e de serem esquecidas.

Para assinalar o Dia Mundial do Livro de 2020 (23 de abril), a Rede de Bibliotecas Terras de Monsalude (Bibliotecas de Pedrogão Grande, Castanheira de Pera e Figueiró dos Vinhos) apresentou online o Projeto “Memórias".

Portal: http://www.rbmonsalude.pt/index.php/memorias

VIDAS E MEMÓRIAS DE UMA COMUNIDADE (VILA VELHA RÓDÃO)

Por último, merece o devido destaque, o projeto desenvolvido pela Biblioteca Municipal de Vila Velha de Ródão, provavelmente  um dos primeiros, senão o primeiro, a ser implementado por uma biblioteca municipal, em 2009, não só pela sua pertinência, pioneirismo e maturidade, mas também pela persistência, continuidade e atualidade ancorada também no que são as atividades correntes e quotidianas da biblioteca.

logoVVR(2).jpg

O projeto abrange a tradição oral, a história local e vidas contadas, através da recolha de testemunhos de diferentes  vertentes (família, sociedade, escola, trabalho, migrações, lazer e celebrações), numa parceria entre a BMVVR e o Ministério da Agricultura, Desenvolvimento Rural e Pescas, e cofinanciada pelo FEADE.

Desde 2009 que a Biblioteca Municipal José Baptista Martins tem vindo a desenvolver as medidas necessárias à concretização das ações previstas no projeto (preservar, divulgar e disponibilizar ao público os recursos informativos obtidos com esta iniciativa, cabendo-lhe ser “um agente essencial na recolha, preservação e promoção da cultura local em toda a sua diversidade”) cuja implementação está a cargo de uma equipa multidisciplinar constituída por elementos da comunidade, com formação e interesse pela temática, e por funcionários da biblioteca. Interagindo com as atividades culturais, educativas e sociais que a Biblioteca Municipal já anteriormente desenvolvia como estratégia de combate à iliteracia e à exclusão de adultos, o projeto funciona também como instrumento de incentivo da aprendizagem ao longo da vida. São seus objetivos:
1- Estimular a reflexão em torno da importância do património cultural, através da realização de ações de formação, palestras, recriação de tradições e edificações tradicionais;
2- Criar fontes de informação (digitais e em papel) dirigidas a académicos, decisores políticos, empresários, estudantes e população em geral, que possam apoiar futuras ações de desenvolvimento local (instalação de empresas ligadas ao turismo cultural e gastronómico e outras).

Portal: https://memoriasderodao.cm-vvrodao.pt/


20-05-2020 RD    
    
© 2007-2014 Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas
Todos os Direitos Reservados
Última Actualização em: 07-08-2020