Ignorar Comandos do Friso
Saltar para o conteúdo principal
   
Procura Avançada
Relatório europeu DESI 2021 «Índice de Digitalidade da Economia e da Sociedade»


​Já está disponível o relatório anual DESI - "Índice de Digitalidade da Economia e da Sociedade de 2021". 

Este relatório da Comissão Europeia pretende acompanhar a evolução digital dos diferentes Estados-Membros, identificando áreas de ação prioritárias, através  de um conjunto de indicadores sobre o seu desempenho digital, agregados em cinco dimensões principais: Conectividade, Capital Humano, Utilização da Internet, Integração da Tecnologia Digital e Serviços Públicos Digitais. 

Portugal ocupa o 16.º lugar entre os 27 Estados-Membros da UE na edição de 2021 do Índice de Digitalidade da Economia e da Sociedade. 

Em matéria de capital humano, Portugal registou um aumento significativo da percentagem de especialistas em TIC, aproximando-se da média da UE. O desempenho de Portugal em termos de competências digitais básicas é inferior à média da UE, mas a percentagem de indivíduos com competências digitais mais avançadas é superior à média. A percentagem de mulheres especialistas em TIC é superior à média da UE. 

Quanto à conectividade, Portugal apresenta um bom desempenho em matéria de cobertura de VHCN (rede de capacidade muito elevada) e de banda larga rápida. Continua a ser necessário um esforço suplementar para assegurar que a cobertura de VHCN e a adoção de banda larga móvel sejam uma realidade para todos os agregados familiares, inclusivamente nas zonas rurais. A adesão à banda larga fixa de pelo menos 100 Mbps em Portugal aumentou de 56 % para 63 %, o que coloca o país muito acima da média da UE (34 %). No entanto, o país regista atrasos na adesão à banda larga móvel. Portugal tem como prioridade a substituição do anel de cabos submarinos do Atlântico, que liga o continente à Madeira e aos Açores e as ilhas entre si, uma vez que este se encontra no final do seu ciclo de vida. O incremento do esforço para o aumento da cobertura das redes de capacidade muito elevada e para a adesão à banda larga móvel asseguraria um melhor acesso de todas as famílias, inclusivamente nas áreas rurais. 

A percentagem de empresas portuguesas com pelo menos um nível básico de intensidade digital é de 51 %, sendo a média da UE de 60 %. As percentagens de utilização de TIC para a sustentabilidade ambiental, de PME que vendem em linha e de utilização de IA são superiores à média da UE. O número de empresas que utilizam serviços em nuvem aumentou relativamente ao ano passado. Portugal situa-se entre os líderes da UE no que respeita a serviços públicos digitais. O número de utilizadores de serviços de administração pública em linha aumentou para 57 %, permanecendo abaixo da média da UE de 64 %. O desempenho de Portugal está acima da média da UE no que respeita à utilização de formulários pré-preenchidos em linha e aos serviços públicos digitais para o público e para as empresas. A melhoria das competências digitais continua a ser uma prioridade do país, tal como consta do respetivo plano de recuperação e resiliência (PRR), que inclui iniciativas dirigidas a diversos grupos da população. 

Em 2020, Portugal aprovou o seu plano de ação para a transição digital, que atribui prioridade à capacitação e inclusão digitais das pessoas, à transformação digital do tecido empresarial e da administração pública e à digitalização da educação. Estes objetivos são consentâneos com a vertente da transição digital do PRR português, que se centrará nas competências digitais e na digitalização das empresas, da administração pública e da educação. Em maio de 2021, Portugal reviu a sua Iniciativa Nacional Competências Digitais (INCoDe.2030), alinhando os seus objetivos e linhas de ação com o plano de ação para 2025-2030. A nova estratégia para os serviços públicos digitais incorpora políticas relevantes da UE, como o Portal Digital Único e o Regulamento eIDAS, o plano de ação europeu para a administração pública em linha, o Quadro Europeu de Interoperabilidade, os dados abertos e a acessibilidade na Web. Com este quadro estratégico reforçado e alinhado, Portugal pretende promover, nomeadamente, as competências digitais nas escolas (incluindo a conectividade e o acesso à Internet), programas de melhoria de competências e requalificação profissional dos trabalhadores, como, por exemplo, Emprego + Digital ou Jovem + Digital, e o equilíbrio de género. 

No que toca à integração das tecnologias digitais nas empresas, Portugal promove o desenvolvimento de polos de inovação digital e a requalificação de trabalhadores de zonas rurais em profissões da área das TIC. Os seus investimentos substanciais em polos europeus de inovação digital, previstos no quadro do PRR, aumentarão a capacidade das PME para digitalizarem os seus processos empresariais. Portugal continua a apoiar tecnologias avançadas como a IA, a computação avançada e os dados abertos. 

Em 2021, Portugal lançou uma nova Estratégia para a Transformação Digital da Administração Pública (2021-2026). 

Aceda à página da Estratégia Digital da UE, ao Relatório DESI 2021 e ao Relatório sobre Portugal.

DESI2021medio.jpg


24-11-2021 | RD    
    
© 2007-2014 Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas
Todos os Direitos Reservados
Última Actualização em: 26-11-2021