Ignorar Comandos do Friso
Saltar para o conteúdo principal
   
Procura Avançada
A estratégia das Redes Intermunicipais de Bibliotecas e a importância da colaboração



Atendendo ao valor social e económico das bibliotecas municipais, como espaços públicos de cultura, informação, socialização, lazer e aprendizagem, o trabalho colaborativo entre estes equipamentos valoriza os serviços já existentes permitindo ao mesmo tempo a inovação em serviços culturais, sociais, educativos e formativos capazes de responder às necessidades das comunidades, reduzir assimetrias sociais e capacitar os diferentes públicos para a revolução digital


Na construção de uma visão partilhada e orientada para um serviço público de qualidade, através da promoção de políticas públicas focadas nos impactos, a colaboração assume-se como uma necessidade cada vez mais importante para responder eficazmente aos atuais desafios da sociedade, seja no combate à iliteracia, à exclusão social, ao isolamento das comunidades, à pobreza ou ao desemprego.

A colaboração pressupõe uma interdependência entre as partes e a assunção conjunta das responsabilidades, maximizando os recursos disponíveis, mas também a partilha de riscos e a consequente minimização da exposição individual. Por outro lado, a aprendizagem mutua e uma maior eficácia, o ganho de escala e de unidade, contribuem para a maximização do impacto e da confiança  dos cidadãos relativamente a um serviço ou a uma política.

O desenvolvimento de processos colaborativos corresponde assim a melhores serviços, aliados a uma redução de custos e a uma maximização dos resultados. O facto do processo colaborativo exigir às entidades envolvidas o estabelecimento de uma base comum de trabalho e o acordo numa visão conjunta para serem capazes de desenvolver mecanismos de avaliação de necessidades e de quantificação da dimensão das iniciativas a implementar, induz necessariamente à capacitação para definir objetivos específicos, metas e a definição de um plano de ação, não esquecendo a importância de definir metodologias de avaliação comuns. A partilha de riscos e de recursos na implementação de serviços inovadores em contextos de complexidade e de incerteza incentiva e propicia a colaboração.

Assim, naquilo que é a missão da Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas (DGLAB)  pretende-se promover, junto das bibliotecas públicas e por todo o país, o apoio à criação de Redes Intermunicipais de Bibliotecas Públicas capazes de, mantendo a individualidade de cada unidade, fomentar as parcerias e o trabalho colaborativo, reforçar a identidade regional, a coesão territorial e a incentivar a uma cidadania ativa através da disponibilizção de serviços e recursos à comunidade capazes de promover as literacias, a participação cidadã e a inclusão social, combater a desinformação, o isolamento e o despovoamento dos territórios. Desde 2017, numa aposta consciente na colaboração que vai além do estabelecimento de parcerias com organismos e entidades consideradas pertinentes para o âmbito da suas atribuições, a DGLAB adotou uma estratégia de incentivo e apoio à criação e formalização de Redes Intermunicipais de Bibliotecas Públicas no seio das Comunidades Intermunicipais (CIM)/Áreas Metropolitanas(AM).

A estratégia da DGLAB passa por reforçar a visão das bibliotecas públicas como equipamentos de proximidade, com valências culturais, informativas, sociais, formativas e de cidadania, através do fortalecimento e da afirmação do seu papel como elementos essenciais para a coesão social no território e para o fomento das literacias. Estas Redes Intermunicipais de Bibliotecas Públicas, organizadas em Grupos de Trabalho constituídos pelos técnicos responsáveis por cada biblioteca, e em cooperação com as CIM/AM, pretendem aumentar a qualificação e desenvolver serviços capazes de responder eficazmente às necessidades das populações. Neste âmbito, a DGLAB apoia as redes de bibliotecas na definição de normas de trabalho comuns, na promoção de hábitos de trabalho colaborativo, e adoção de estratégias conjuntas e concertadas capazes de assegurar a sustentabilidade dos serviços e a racionalidade da gestão dos recursos envolvidos. Reforçando o papel das bibliotecas junto das comunidades, pretende-se, como fim último, contribuir para a redução das desigualdades e das assimetrias nacionais através do aumento da utilização dos recursos e serviços que as bibliotecas públicas disponibilizam para valorizar e desenvolver os territórios. 


A DGLAB, as Redes Intermunicipais de Bibliotecas e a Colaboração

Até hoje, já estão constituídas formalmente 15 Redes Intermunicipais de Bibliotecas no âmbito das suas Comunidades Intermunicipais, estando mais quatro em vias de o fazer em breve, a saber, Alto Alentejo, Trás-os-Montes, Ave e Douro. Já constituídas e a desenvolver trabalho, com acompanhamento mensal por parte DGLAB, estão as Redes Intermunicipais da Região de Aveiro, Cávado, Oeste, Médio Tejo, Baixo Alentejo, Beiras e Serra da Estrela, Região de Coimbra, Lezíria do Tejo, Alentejo Central, Alto Minho, Algarve, Região de Leiria, Alto Tâmega, Viseu Dão Lafões e Tâmega e Sousa.

LeiriaM.jpg
MTM.jpg
BeirasM.jpg
TSousaM.jpg
OesteM.jpg
VDLM.jpg
CoimbraM.jpg
CavadoM.jpg
BIBALM.jpg
LezíriaM.jpg
AMM.jpg
AveiroM.jpg
BaixoAlentejoM.jpg
ATamegaM.jpg
ACM.jpg


A DGLAB, as Redes Intermunicipais de Bibliotecas e os PADES

Neste cenário, o primeiro desafio será sempre o de capacitar as organizações/entidades para a colaboração, criando objetivos comuns, construindo consensos e parcerias para determinada ação ou projeto que responda às necessidades identificadas nas comunidades. O PADESPrograma de Apoio ao Desenvolvimento de Serviços, constitui-se como um instrumento de incentivo à formulação de projetos comuns por um lado, por outro, como um instrumento de apoio financiamento para esses mesmos projetos. 

Em preparação encontra-se a implementação do projeto da Rede Intermunicipal de Bibliotecas das Beiras e Serra da Estrela, «Em rede nunca lemos sós», em execução estão os projetos da Rede Intermunicipal de Bibliotecas da Lezíria do Tejo e da Rede de Bibliotecas Públicas do Médio Tejo, o «BiblioTICs» e o «CIA: Cidadania Informada e Ativa», respetivamente. Estão já concluídos o projeto «AquaLibri - Biblioteca Digital do Cávado», da Rede de Bibliotecas Públicas do Cávado e o projeto «Ler e crescer em família», da Rede Intermunicipal de Bibliotecas do Alentejo Central.

Aqualibri200.jpg



bibliotics128.jpg


CIA128.jpg
LER200.jpg


Aqualibri - Biblioteca Digital do Cávado
​BiblioTIC's - Lezíria do Tejo
CIA: Cidadania Informada e Ativa - Médio Tejo​
Ler e Crescer em Família - Alentejo Central​




=================================================================
Consulte também no nosso site:
=================================================================
Bibliotecas do Algarve
Bibliotecas da Lezíria do Tejo
​Bibliotecas Viseu Dão Lafões
 

 

 



05-12-2022 | RD    
    
© 2007-2014 Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas
Todos os Direitos Reservados
Última Actualização em: 03-03-2024